O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), vetou o projeto de lei que previa classificar igrejas, templos e santuários religiosos de serviço essencial na capital. A decisão foi publicada no Diário Oficial do Município nesta quarta-feira (24).

Nas justificativas do veto, Kalil alegou inconstitucionalidade da proposição, de autoria do vereador Henrique Braga (PSDB).

A Procuradoria do município informou que não compete à Câmara Municipal classificar um serviço ou outro de essencial e, pela dinâmica da pandemia, o Executivo precisa criar decretos “de modo a acompanhar a evolução do contexto epidemiológico do município, resguardando a saúde da população”.

Folha Gospel

1 Comentários

  1. Sendo isso verdade basca cada cristão dá uma resposta consciente, não vota nele ou em quem ele apoiar.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...