segunda-feira, 27 de março de 2017

Avanço: Igreja norte-coreana cresce, apesar de execução dos fiéis



Estima-se que possam haver até 500 mil norte-coreanos praticando o cristianismo de maneira secreta. Atividades religiosas na Coreia do Norte podem ser puníveis de morte, enquanto o regime de Kim Jong-un continua perseguindo e mantando quem se opõe ao comunismo.

O pastor Jeong Peter está denunciando as flagrantes violações dos direitos humanos em solo norte-coreano em um livreto intitulado “As Realidades da Opressão Religiosa na Coreia do Norte”.


Salientando que estatísticas sobre o número de cristãos são sempre difíceis, uma vez que o governo reprime toda manifestação religiosa. Entre as estatísticas usadas por ele estão a da Portas Abertas, que estima o número entre 200.000 e 400.000; enquanto a Voz dos Mártires diz que são 500.000. Já o Comitê para os Direitos Humanos na Coréia do Norte acredita em 300.000.

Jeong é presidente da ONG Justiça para a Coréia do Norte. Ele mora hoje na Coreia do Sul e faz um trabalho de ajuda humanitária focado naqueles que conseguem escapar do regime ditatorial.
O objetivo do pastor em escrever o livreto é reunir depoimentos de desertores norte-coreanos e os relatórios da ONU sobre as violações de direitos humanos naquele país.

“As atuais atividades cristãs secretas são limitadas a grupos de duas ou três pessoas lendo a Bíblia, orando e cantando hinos”, disse ele.

Um encontro com muita gente ou uma pregação pública é impossível, e aqueles que são encontrados envolvidos nesse tipo de atividades certamente serão executados ou, na melhor das hipóteses, enviados para campos de prisioneiros políticos, similares a campos de concentração nazistas.

No livreto, o pastor Jeong Peter lembra o caso de Son Jong-nam, um cientista de foguetes que foi condenado à morte por ter se envolvido com grupos cristãos na China e realizar atividades de proselitismo quando voltou para a Coreia do Norte, em 2006.

Conta também sobre cerca de 40 moradores da província de Pyongan e 43 cristãos secretos nas províncias de Hamkyong e Ryanggang que foram executados publicamente em 2010 e 2011, respectivamente.

O pastor acrescenta que publicou o material tanto para dar testemunho do sofrimento no país mais fechado do mundo quanto para oferecer provas que ajudem a levar o líder norte-coreano Kim a um tribunal internacional.

Apesar da intensa perseguição, ele diz haver evidências que a Igreja continua crescendo. Jeong encerra dizendo que o governo norte-coreano está tentando extinguir todas as atividades religiosas, classificando-as de “ópio que paralisa a consciência revolucionária”. Com informações Korea Herald via Gospel Prime

10 pastores que respeito e admiro



1- O que não é perfeito, mas que busca ser exemplo do rebanho.

Esse pastor sabe de suas limitações, sabe que não é melhor do que ninguém, sabe que é um pecador resgatado pelo sangue de Cristo. Ele, porém, sabe também da missão que Deus lhe deu e busca conduzir suas ovelhas no caminho dado pelo Supremo Pastor, sendo, antes de todos, o primeiro a vivenciar a Palavra de Deus em sua vida para testemunhar a outros. Ele tem todo cuidado nessa questão e pode-se ver em sua vida um homem que busca viver o evangelho e não somente falar dele. É humano, tem seus erros, e não faz questão de passar uma imagem de todo poderoso.


2- O que faz cultos cristocêntricos.

Esse pastor busca glorificar a Cristo nas ministrações que preside. Busca conduzir todas as coisas para que Cristo cresça e todo o resto diminua. Do primeiro ao último minuto de seus cultos busca apresentar a Cristo e conduzir as pessoas a Ele. É sensível ao observar e corrigir coisas que tentam competir com a centralidade de Cristo nos cultos.

3- O que não tem medo de pregar a Palavra de Deus.

Esse pastor não faz média, antes, entrega a palavra de Deus conforme a Bíblia a revela. Ele não usa de técnicas melodramáticas para tocar o coração dos seus ouvintes. Ele busca antes de tudo, que o Espírito Santo revele a Palavra aos seus ouvintes, conduzindo-os à presença viva de Deus. Sabe que muitas vezes irá desagradar pessoas na sua pregação, mas é fiel às verdades que Deus lhe manda pregar.

4- O que não crê que os fins justificam os meios.

Esse pastor é totalmente dependente de Deus em seu ministério. Ele conduz a igreja a andar nos caminhos corretos de obediência ao Senhor e não nos caminhos tortuosos que o coração humano propõe e que visam, antes de tudo, resultados que premiam o trabalho realizado. Para ele o mais importante é fazer a vontade de Deus usando os meios dados por Deus.

5- O que é obediente a Deus mesmo não vendo resultados palpáveis.

Esse pastor gosta de ver os resultados de seu trabalho, porém, não é guiado por esses resultados. É guiado pela obediência e direção de Deus. Mesmo, às vezes, não vendo resultados pontuados pelas pessoas como o ‘sucesso’, continua sendo fiel e o pastor responsável por certo número de ovelhas dadas por Deus. Para ele, cumprir a missão de Deus não é encher a igreja de gente a qualquer custo, mas sim obedecer a Deus e confiar a Ele os resultados do trabalho, seja quais forem.

6- O que não faz a si mesmo o “bam-bam-bam” da igreja.

Esse pastor sabe fazer suas ovelhas entenderem a diferença entre admiração e bajulação. Ele não aceita ser bajulado e até adorado como se fora mais do que os outros ou até mesmo um quase deus. Coloca-se na posição de servo, tem prazer de trabalhar em equipe e de ver suas ovelhas se desenvolvendo em seus ministérios, e sempre reitera que ele também é ovelha do rebanho de Deus. Não deixa o ego assumir o controle. Ele não é um ídolo dentro de sua igreja.

7- O que não explora financeiramente suas ovelhas.

Esse pastor não é ignorante, não acredita que as dívidas da igreja são pagas como que por milagre. Ele sabe das possibilidades da sua igreja e não usa ameaças e nem promessas que a Bíblia não faz para que suas ovelhas contribuam com o trabalho. Ele sabe instruir corretamente sua igreja sobre o que a Bíblia diz a respeito das contribuições para o reino de Deus. Não faz dos momentos de ofertório o momento mais importante do culto e nem do dinheiro o deus e a confiança maior da igreja. Trabalha a parte financeira da igreja com dignidade, ética e transparência.

8- O que não tem medo de ensinar profundamente a Bíblia às suas ovelhas.

Esse pastor não faz doutrinas em cima de textos isolados da Bíblia, por isso, não tem medo de ensinar suas ovelhas a serem questionadoras, estudantes profundas da Bíblia. Ele tem porta aberta ao diálogo e aos questionamentos. Por isso, os cultos que preside são banquetes de aprendizado e quebrantamento, onde a Palavra de Deus reina soberana como fonte de ensino e a regra de fé e prática. Por ser assim ele sabe que precisa sempre beber dessa fonte para também poder dar de beber cada vez mais aos seus discípulos.

9- O que ora sempre buscando em seus pedidos que seja feita a vontade de Deus em primeiro lugar.

Esse pastor não ousa sequer pronunciar palavras de ordem a Deus. Ele sabe quem é Deus, sabe de Seus atributos grandiosos. E mais, sabe exatamente que ele é apenas um homem imperfeito, que está de pé pela graça de Deus. Por isso, em suas orações ele é dependente de Deus e não o chefe de Deus.

10- O que tem cheiro de ovelha.

Esse pastor é pastor que pastoreia de verdade. A sua missão de vida é pastorear e não fazer fortuna com o rebanho vendendo suas peles e carnes! Chegue perto dele e sentirá o cheiro das ovelhas. Isso porque ele fica muito perto, ele acompanha, ele se preocupa com elas. Ele as ama de verdade, mesmo que elas não tenham nada para dar-lhe em troca. Ele as acolhe, ele cumpre seu trabalho cabalmente como bom trabalhador que não tem de que se envergonhar.

E você, tem algum pastor que respeita e admira?


Por André Sanchez
Do blog Esboçando Ideias

domingo, 26 de março de 2017

Evangélicos podem se unir em torno de Bolsonaro, diz especialista



Nas últimas eleições presidenciais, a candidatura do Pastor Everaldo (PSC) à presidência apesar da votação baixa, acabou sendo um marco na história política dos evangélicos. Pela primeira vez alguém usando um título eclesiástico se lançava na conquista do cargo mais alto do executivo.


Há décadas líderes religiosos são eleitos para postos no legislativo. Agora estudiosos acreditam que poderão se consolidar mais projetos políticos construídos por setores evangélicos.

Christina Vital, antropóloga da Universidade Federal Fluminense (UFF), autora do livro Religião e Política: medos sociais, extremismo religioso e as eleições de 2014, defendeu à agência de notícias DW que deverá haver uma “moderação” no tom para as próximas eleições presidenciais, ano que vem.

“Para vencer é preciso moderar e falar para a sociedade de um modo mais geral”, garante.

“Temos uma formação cultural e um jeito de fazer política cujo referencial é católico. Quando os evangélicos se apresentam na política, em todo o tempo eles estão lidando com esse elemento cultural”, explica a especialista.

Para ela, a eleição de Marcelo Crivella a prefeito do Rio de Janeiro é um exemplo disso. “O senador tinha uma fala acolhedora e pautada na gestão eficiente. Ele fez alianças muito amplas com diferentes setores da sociedade”, resume.

Mas um dos pontos principais é que ele não fez uma apresentação religiosa de sua candidatura, embora não negasse sua vinculação religiosa. Com isso conseguiu conquistar os eleitores não evangélicos.

Vital acredita que possa haver uma “unidade evangélica” em torno da candidatura do deputado federal Jair Bolsonaro. “Sua candidatura visa produzir uma unidade evangélica em torno de seu nome. A novidade é que as lideranças evangélicas de diferentes denominações têm tentado aparar essas arestas e esta competição institucional em nome de “um bem maior”, analisa.

Segundo a antropóloga, existem outras barreiras a serem vencidas. “Temos uma formação cultural e um jeito de fazer política cujo referencial é católico. Quando os evangélicos se apresentam na política, em todo o tempo eles estão lidando com esse elemento cultural.”

Olhando-se para os números, embora seja sabido que evangélicos nem sempre votam em evangélicos, é preciso lembrar que eles são mais numerosos na Classe C e hoje possuem o maior número de eleitores, cerca de 54% do eleitorado.

Isso pode mudará mudar o perfil dos políticos no próximo pleito, uma vez que essa camada da sociedade “formada num seio religioso privilegia o empreendedorismo, a meritocracia, as conquistas individuais e tem aspirações burguesas”.

Outro aspecto a ser levado em conta é o perfil conservador da maioria da população brasileira. 

Gospel Prime

AD em Rio Doce realizará festa

A Assembleia de Deus em Rio Doce, zona rural do município de Porto do Mangue-RN, realizará neste domingo dia (26), um evento, e contará com a presença da irmã Rita de Pernambuco, ela estará contando o seu testemunho, é ex-feiticeira donas de vários centros de umbanda.
Assembleia de Deus em Rio Doce, é liderado pelo Pastor Paulo Sergio.

AD em Governador Dix-Sept Rosado realiza batismo nas águas

A Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Governador Dix-Sept Rosado, realizou neste sábado dia (25), as 09:00 da manhã, um grande batismo nas águas de 19 novos convertidos.
O bastimo foi liderado pelo Pastor Coriolando, (Governador Dix-Sept Rosado), juntamente com o Pastor Isaac Dias Souza, supervisor do campo de Caicó.


Dia do evangélico em Rodolfo Fernandes


UERF – União dos Evangélicos de Rodolfo Fernandes
Apresenta o 4º Ano do dia do Evangélico que será Realizado Segunda Feira 8 de Maio de 2017, no corredor Junino a partir das 18h00minh em Rodolfo Fernandes/RN.
O evento contará com a participação do Cantor Armando Filho, e o pleletor será o irmão Marcelo Teixeira de Goiânia.

Pastor recebe cantada durante ‘Fala Que Eu Te Escuto’ e tem reação inesperada; confira



Uma telespectadora do Fala Que Eu Te Escuto entrou em contato com o programa para dar sua opinião sobre o assunto do dia, festas na universidade. Antes de encerrar a ligação, a telespectadora disse que o Pastor Guilherme Grando, apresentador do programa, faria sucesso em sua cidade nas festas se estivesse presente.
Sorrindo e visivelmente desconcertado, o pastor disse que seu lugar era no templo e, em alguns momentos, na Record TV. A telespectadora então completou: “Minhas amigas falaram que, se o pastor emagrecer um pouco, faz sucesso aqui”. Grando então respondeu: “Mas a minha mulher gosta assim mesmo”.



Em seguida, ele reclamou de ter que ouvir cantadas ao vivo no programa à 1h da manhã. Por conta da repercussão nas redes sociais, o pastor falou, em outro momento do programa: “O tema não é a cantada, o tema hoje é sobre a vida universitária. Outro dia a gente faz sobre cantada e traz até o Luan Santana aqui para falar”.

(Observatório da Imprensa)

sábado, 25 de março de 2017

CGADB: Justiça do Amazonas indefere liminar para anular 5.207 inscrições



A Justiça do estado do Amazonas, no município de Santo Antônio de Içá, indeferiu pedido de liminar (Obrigação de Fazer com pedido de Tutela Provisória) proposto pelo pastor Edson Maia dos Santos em desfavor da Convenção Geral das Assembleias de Deus (CGADB) e a empresa Scytl Soluções de Segurança e Voto Eletrônico responsável pelo processo eleitoral da instituição.


Na ação, o pastor Amazonense Edson Maia dos Santos pediu a anulação de 5.207 inscrições, segundo ele, irregulares realizadas no site da CGADB, em razão de não atenderem os requisitos estabelecidos na Resolução Eleitoral nº 001/2016, da CGADB e que teriam sido negadas as suas respectivas impugnações pelo presidente da Comissão Eleitoral da CGADB. Maia descreveu na ação que uma auditoria independente identificou 73 e-mails não válidos; 81 inscrições que teriam sido realizadas com o e-mail jfrcartorio+cartorio@gmail.com entre outras alegações.

Tendo como ré a empresa Scytl Soluções de Segurança e Voto Eletrônico, Maia solicitou ao magistrado que a empresa retirasse os nomes dos 5.207 inscritos.


DECISÃO

No entanto, para o juiz Francisco Possidônio da Conceição, os tópicos apontados pelo pastor Edson Maia dos Santos necessitam de confirmação pericial:

“Tais colocações, demandam confirmação técnica-pericial ou mesmo manifestação da parte contrária, para se confirmar ou não a invalidade dos emails para serem asseverados como irregulares para os fins da eleição da CGADB frente as normas que regem tal certame”, pontuou o magistrado.

Ainda de acordo com o juiz Francisco Possidônio da Conceição, há perigo de dano na privação do exercício do voto dos mais de 5 mil inscritos.

ELEIÇÃO – A eleição da Convenção Geral das Assembleias de Deus está prevista para acontecer no dia 09 de abril em São Paulo. A votação também será online e cada ministro inscrito pode votar de cada estado onde estiver sem a necessidade de se deslocarem a São Paulo.

Concorrem à presidência da CGADB, os pastores Samuel Câmara, Wellington Júnior (sub judice) e Cícero Tardin.
JM Noticia 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...