quinta-feira, 3 de junho de 2021

Lawrence Amorim: “O trabalho da bancada federal tem sido muito minguado em relação a Mossoró”


 Nascido na cidade de Mossoró e com raízes familiares em Almino Afonso, o presidente da Câmara Municipal de Mossoró, Lawrence Amorim, engata uma política de parceria com o Executivo. Ele já foi prefeito da cidade de Almino Afonso por duas vezes, em 2018 se filiou ao Solidariedade e se candidatou a deputado federal, alcançando a primeira suplência na nominata. 

Agora RN: Como foi sua chegada à presidência da Câmara de Mossoró? Lawrence Amorim: “Eu entrei na política muito cedo. Com 24 anos me candidatei a prefeito em Almino Afonso, me elegi e na campanha seguinte consegui me reeleger. Em 2018, me filei ao partido Solidariedade, onde estou até hoje. Na ocasião, foi candidato a deputado federal, onde fiquei na primeira suplência. Após as eleições, fomos trabalhar para reforçar o projeto do partido em Mossoró, lançamos uma nominata para a Câmara de Vereadores, assim como a candidatura de Allyson para prefeito; elegemos quatro vereadores do partido e o prefeito. Então, pela pouca experiência ganhamos a confiança dos colegas e conseguimos o voto de todos para a assumir a Presidência da Câmara nesse primeiro biênio”. 

Agora RN: Quais os principais desafios em administrar uma casa legislativa em situação tão atípica, como a que estamos vivendo? Lawrence Amorim: Nos adaptamos ao momento, restringimos a entrada da população, estamos fazendo as sessões de forma remota, com acesso permitido somente da mesa diretora da Casa, os demais vereadores em casa ou de onde estiverem”. 

Agora RN: Como o tem sido a relação da Câmara com o Executivo? Lawrence Amorim: Hoje, a Câmara tem quatro vereadores na posição e três na bancada independente; o prefeito conta com 16 em sua base e há um bom relacionamento com o Executivo. Nós, como presidente, focamos em melhorias para a Câmara, para a cidade e para o povo de Mossoró. Então, o prefeito não tem tido dificuldades de aprovar projetos, claro que tem uns mais polêmicos, nós aprovamos muitos projetos que ajudaram o município, como parcelamento de débitos, projetos para compra de vacinas, muitos relacionados a pandemia, dentre outros. Muitos desses projetos são aprovamos por unanimidade. Esse ano, o prefeito já visitou a Câmara duas vezes, coisa que não existia antes, então avalio como muito positiva essa relação do Executivo com a Câmara. O prefeito Allyson tem boa vontade, quer trabalhar para o povo, o povo acreditou nisso, numa esperança de mudança para a cidade. Tenho certeza que está fazendo um bom trabalho”.

 Agora RN : Qual avaliação que senhor faz em relação a atuação do governo estadual no combate a pandemia? Lawrence Amorim: Acredito que é uma relação de trabalho no combate pandemia, a decisão de acompanhar os decretos do estado, é uma decisão acertada, até por que o que vale é a decisão do STF, o que vale é um decreto mais rígido, então é uma perda de tempo ir contra a algo que facilmente será derrubado pela Justiça, o que gera uma insegurança para toda população. Temos visto uma falta de informação de conhecimento, de como serão cumpridos esses decretos. Se for necessário fazer um decreto que seja mais rígido que o do governo, o prefeito fará, se não, ele está indo contra uma decisão judicial; isso gera uma insegurança jurídica, como a gente viu acontecer em Natal, a governadora manda fechar, o prefeito mandar abrir, a fiscalização do governo vem e fecha, então essa situação gera descrédito”.

 Agora RN : Qual a sua avaliação em relação a atuação da bancada federal e do governo federal nesse contexto? Lawrence Amorim: O trabalho da bancada federal tem sido muito minguado em relação a Mossoró, sem grande expressão, não temos visto um trabalho de visibilidade, principalmente os que são daqui da região, não temos visto eles buscarem leitos, vacinas. A data para destinação de emendas parlamentares já passou e até agora pouquíssimos recursos para cá, então acho que está bem abaixo do que Mossoró merece e precisa. Em relação ao governo federal, ele achou que a pandemia ia durar só o primeiro ano; no ano passado liberou muitos recursos, auxílio, por exemplo, nossa cidade recebeu 80 milhões para o combate à Covid. Hoje, o município está tendo que arcar com as despesas com leitos, medicação, vacinação, centro de testagem, tudo isso tem um alto custo, então o prefeito tem conseguido fazer tudo isso, inclusive pagar a folha em dia, com praticamente recursos só do município. A cidade de Mossoró precisa de mais representantes pela importância que ela tem para o estado. Agora RN: Sobre a eleição para a FECAM, o que deu errado? Lawrence Amorim: Um grupo de presidentes, principalmente do interior do estado, estava querendo uma chapa, então colocamos nosso nome, percebemos que a chapa do nosso concorrente havia irregularidades, eles recorreram e conseguiram suspender a eleição. Psassando o tempo, houve a nova eleição e, ouvindo apelo dos presidentes, resolvemos não fazer nenhum tipo de acordo. Foi a primeira vez na história que a FECAM teve disputa, tudo bem tranquilo, fiz minha parte dentro do processo democrático, em momento algum atrapalhei esse processo, tive mais de 40 votos. Passando a eleição, parabenizamos o vencedor Paulinho Freire e nos colocamos à disposição para trabalhar em função do fortalecimento da FECAM, democracia é isso”. 

Agora RN: Para 2022, o seu partido vai propor nome par majoritária? Lawrence Amorim: Nós estamos conversando e buscando formar uma boa nominata para estadual e federal. Acredito que o deputado Kelps não seja candidato ao governo, acredito que saia para federal, já para a majoritária o partido vai decidir se vai ter candidatura própria ou se vai apoiar alguém. Hoje, nosso trabalho mais intenso é na formação da nominata.


Agora RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...