terça-feira, 1 de setembro de 2020

Aline comenta pleitos atendidos e faz cobranças na área da saúde




Fazendo uma avaliação, no geral positiva, do seu mandato, a vereadora Aline Couto (PSDB) utilizou a tribuna, em sessão ordinária do legislativo mossoroense, para citar pleitos atendidos que resultaram em melhoria para a população e, ao mesmo tempo, renovou algumas cobranças. Inclusive algumas delas oriundas do ano de 2017, quando iniciou suas atividades parlamentares na Câmara Municipal.
Sua primeira abordagem, na manhã da quarta-feira, 1º de setembro, foi de cobrar o retorno do programa social Casa da Gente, com sede na Rua Marechal Deodoro, no limite dos bairros Paredões e Barrocas. “Esse é o único equipamento público de apoio e desenvolvimento social existente no bairro e, desde o seu fechamento, a população tem se mostrado insatisfeita”, abordou a vereadora. Aline lembrou que existem outros equipamentos no bairro na área de educação, como escola, e atendimento as crianças com uma creche, no entanto um espaço para reuniões que proporcionem a comunidade desenvolver o seu talento, isso deixou de existir com o fechamento da Casa da Gente. O tema já foi levado pela vereadora ao conhecimento da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Social e Juventude, como também da própria prefeita Rosalba Ciarlini.

PAVIMENTAÇÃO 

A segunda abordagem feita pela vereadora diz respeito a pavimentação, drenagem e manutenção da Rua Marechal Floriano, bairro Paredões. Lembrou Aline que no período chuvoso o trecho ficava bastante danificado e era frequente a prefeitura realizar trabalho de tapa-buracos. Por isso a vereadora sempre defendeu uma parceria entre Prefeitura de Mossoró e a Caern, para que o setor fosse saneado.

CIRURGIAS ELETIVAS

Aline, ainda na tribuna, lembrou da cobrança para que a cidade de Mossoró pudesse retornar com as cirurgias eletivas. Citou, na oportunidade, que já estava tudo pronto para recomeçar entre os meses de fevereiro e março quando surgiu a pandemia do Covid-19 e a nova suspensão foi inevitável. No mesmo período, em Natal e Mossoró, também deixaram de ser feitas cirurgias de alta complexidade. A boa notícia é de que, desde o final de julho e início de agosto, mesmo de forma lenta, as cirurgias estão sendo retomadas. “Durante a pandemia, em reuniões remotas, esse tema era muito abordado e nós solicitamos da secretaria estadual de saúde o retorno dos médicos com essa atividade e a secretaria já vem mantendo, por telefone, contato com as pessoas que colocaram seus nomes no sistema”, informou.
Em relação as cirurgias eletivas de alta complexidade, a vereadora criticou o fato dos pacientes ficarem sujeitos a marcação e posterior realização somente em Natal, no Hospital Walfredo Gurgel. Aline defende que o procedimento também seja feito em Mossoró. “Desde janeiro do ano passado tem um documento nas mãos da governadora Fátima Bezerra e do secretário de saúde para que autorize as cirurgias também em Mossoró, onde existem hospitais com equipamentos e profissionais capacitados”, cobrou. No atual sistema de marcação de cirurgias em Natal, o paciente é obrigado a esperar por mais de 20 dias pela confirmação. A vereadora encerrando o tema das cirurgias, também cobrou a retomada das cirurgias eletivas ginecológicas em Mossoró. Hoje as pessoas que precisam do procedimento estão encontrando muitas dificuldades. 


PROGRAMA DO LEITE

A vereadora Aline Couto tem se notabilizado por sua luta em favor da reorganização na distribuição do Programa Social do Leite em Mossoró. “E quando eu falo no assunto é para defender sua permanência e fortalecimento, e nunca para me posicionar de forma contrária”, destacou ela, lembrando que essa luta vem desde o ano de 2017. No período, fez várias viagens até Natal onde manteve contato com titulares da Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas) e com a própria coordenação geral do programa.
De acordo com a vereadora, os próprios representantes do Programa do Leite disseram em entrevista na TCM que ela tinha razão em suas denúncias, e que estas eram verdadeiras. Dizendo que a população de Mossoró merece respeito, Aline reforçou que é inadmissível a coordenadora local falar que, no Programa do Leite quem manda é ela e o vereador que fez sua indicação. “Também é inadmissível observar sacos de leite saindo em malas de carro, é inadmissível chegar sete horas e ouvir que não tem mais leite. Tem sim, acontece que o leite vai saindo para o local errado, pois temos vídeos com bicicletas saindo com cachões de leite para vender em mercearias”, denuncia. Toda essa documentação, lembrou a vereador, já foi entregue ao Ministério Público, secretaria estadual e no próprio gabinete da governadora Fátima Bezerra. Concluiu reafirmando que o Programa Social do Leite precisa ser reorganizado em Mossoró e chegar na mesa de quem precisa, principalmente no café da manhã que, em muitos casos, reforçou a vereadora, se torna a única alimentação do dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...