terça-feira, 3 de setembro de 2019

Número de sequestros e mortes de pastores aumenta no México



O estado de Oaxaca, no sudoeste do México, registrou o assassinato do pastor Alfrery Líctor Cruz Canseco, morto a tiros em Tlalixtac de Cabrera em 18 de agosto, pouco depois de liderar um culto em sua igreja da Fraternidad Cristiana.

As autoridades ainda investigam um motivo para o atirador se aproximar do pastor e atirar nele, mas existem declarações de que o crime organizado no país, ligado principalmente ao tráfico de drogas, têm nos cristãos inimigos de seus ‘negócios’.

As autoridades e a mídia mexicana notaram um aumento na violência na área, com um grupo de drogas chamado Cartel de Oaxaca emitindo ameaças nas mídias sociais para realizar mais execuções no sul do México. Autoridades relatam mais de 180 assassinatos no sudeste de Oaxaca este ano.

Um segundo cartel chamado Nueva Plaza também apareceu na área. Com armas de alto calibre, coletes à prova de balas e rostos cobertos, os membros ameaçaram outros grupos criminosos, policiais e funcionários do governo.

Em Tamaulipas, o pastor Aaron Méndez Ruíz, chefe de um abrigo para refugiados, foi sequestrado em 3 de agosto, enquanto interferia nos esforços de um grupo de drogas para sequestrar imigrantes cubanos, disseram trabalhadores à agência de notícias espanhola EFE.

O presidente-executivo da Christian Solidarity Worldwide (CSW), Mervyn Thomas, disse em comunicado à imprensa que o governo mexicano deve proteger os civis.

“Estamos profundamente preocupados com o bem-estar do pastor Méndez Ruiz e com o bem-estar dos migrantes residentes no abrigo da Casa del Migrante AMAR”, disse Thomas.


“Instamos o governo mexicano a garantir a segurança de populações civis em áreas com forte influência de grupos criminosos e a desenvolver estratégias para apoiar líderes religiosos e outros atores da sociedade civil que estão ameaçados”, declarou.

2018 já preocupava

No ano passado, 10 líderes religiosos foram mortos no México, décimo ano consecutivo em que o país foi classificado como um dos mais perigosos do mundo para padres católicos, segundo a CSW.

“A expansão de grupos criminosos violentos no país e o clima predominante de impunidade em torno de tais crimes levou a um aumento da violência contra líderes religiosos”, dizia a declaração da CSW.

“Muitos grupos criminosos veem os líderes da igreja, católicos e protestantes, e sua influência, como uma ameaça ao seu poder. Os líderes religiosos continuam sendo ameaçados, sequestrados e mortos, e a falta de investigação adequada significa que os autores não são levados à justiça”, declarou a organização cristã.

O relatório anual da Comissão dos EUA sobre Liberdade Religiosa Internacional de 2017 observou que gangues do crime organizado, como Los Zetas e Cavaleiros Templários, têm como alvo padres católicos e outros líderes religiosos com ameaças de morte, extorsão e intimidação.

“Em alguns casos, esses alvos acabam sendo mortos”, afirma o relatório. “Os líderes religiosos são alvos porque se manifestam contra as gangues e / ou porque se recusam a incluir a mitologia espiritual das gangues em seus sermões.”

O México ocupa a 39ª posição na lista de observação mundial da organização de apoio cristão Portas Abertas 2019 dos 50 países onde os cristãos sofrem mais perseguições.
Fonte: Guia-me com informações de Christian Headlines

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...