quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Brasil aceita ajuda de Israel para combater incêndios na Amazônia



O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu conversou neste domingo (25) com o presidente Jari Bolsonaro para oferecer ajuda ao combate dos incêndios na floresta amazônica. A ligação foi confirmada pelo presidente do Brasil pelo Twitter.

Bolsonaro disse que Netanyahu reconhece os esforços do Brasil no combate aos focos de incêndio na Amazônia e disse que aceita a ajuda. “Aceitamos o envio, por parte de Israel, de aeronave com apoio especializado para colaborar conosco nessa operação”, escreveu.

O governo de Israel enviará um avião para auxiliar as Forças Armadas brasileiras no combate aos incêndios na Floresta Amazônica.

O Ministro da Defesa, General Fernando Azevedo informou que o avião pousará em local definido pelas Forças Armadas brasileiras.

EUA e Europa

O presidente americano Donald Trump também contatou Bolsonaro pelo telefone e também disse que os EUA podem ajudar no combate ao fogo nas florestas.

"Estamos prontos para dar assistência", escreveu o presidente americano, que chegou para a reunião do G7 neste domingo (25), onde o presidente francês, Emmanuel Macron disse que os incêndios florestais serão discutidos pela cúpula, da qual o Brasil não faz parte.

Realizada em Biarritz, na França, a cúpula do G7 anunciou nesta segunda-feira (26) uma ajuda de R$ 91 milhões (20 milhões de euros) para Amazônia e apoio a plano de reflorestamento. A maior parte deste montante será usada para enviar aviões de combate a incêndios. O G7 é formado pela Alemanha, Candá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido.

Na semana passada, Emmanuel Macron usou o Twitter para criticar o presidente brasileiro dizendo que Bolsonaro mentiu. Ele também disse que a postura do Brasil ameaça o futuro do acordo comercial entre União Europeia e Mercosul.

Macron também sofreu críticas em sua postagem, que foi ilustrada com fotografia de incêndio antiga como se fosse atual.

O governo Bolsonaro tem dito que a questão da Amazônia é um tema de soberania nacional e respondido às críticas dos europeus dizendo que não precisa do dinheiro de países como Alemanha e Noruega, que recentemente suspenderam repasses de verbas para o Brasil pelo aumento do desmatamento.

A Noruega seguiu a decisão da Alemanha que, no sábado (10), também informou que suspenderá parte do financiamento de proteção ambiental para o Brasil. No mesmo tom adotado contra a Noruega, Bolsonaro sugeriu que a Alemanha refloreste seu próprio país. Pelo aumento no desmatamento, a Alemanha anunciou ainda que vai suspender mais de R$ 150 milhões.

Investigação

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse que a Polícia Federal irá investigar a origem do incêndio com base em denúncias de ações criminosas supostamente praticadas por integrantes de um grupo que teria planejado atear fogo em áreas de floresta entre os municípios de Altamira e Novo Progresso, sudoeste do Pará, no último dia 10 de agosto, data que chegou a ser batizada, por produtores rurais da região, como "dia do fogo". O caso foi denunciado em uma reportagem da revista Globo Rural.

Um despacho do presidente Jair Bolsonaro, publicado em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), autorizou o emprego das Forças Armadas no combate aos incêndios florestais no Acre, Mato Grosso e Amazonas.

Com isso, são sete os estados que solicitaram apoio federal nas operações, já que Roraima, Rondônia, Tocantins e Pará haviam feito o pedido desde a última sexta-feira (23), quando o presidente assinou o decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) que permite a atuação dos militares da União.

A medida vale para áreas de fronteira, terras indígenas, em unidades federais de conservação ambiental e outras áreas da Amazônia Legal.

Guia-me

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...