segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Ministra da Agricultura visita Pendências e se reúne com produtores de camarão e sal no RN



Nesse sábado (16), a ministra Tereza Cristina, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, esteve no município de Pendências, no Oeste do Rio Grande do Norte, para visitar a Fazenda Potiporã, maior produtora de camarão do país.

Na sede da Potiporã, a ministra se reuniu com dirigentes da Associação Brasileira de Criadores de Camarão, com representantes do Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.


“Temos de apoiar, e não dificultar, os empreendimentos”, disse a ministra, acrescentando ser importante que o dinheiro do investidor não fique parado, mas sirva para a atividade produtiva e a geração de renda. “Queremos ser um facilitador, destravar o setor, dificultando o mínimo possível, e simplificar, sem precarizar. Vamos fazer juntos, os Três Poderes e a iniciativa privada”, completou.



A produção da carcinicultura, em 2018, foi de 77 mil toneladas destinada ao mercado nacional, com faturamento de R$ 3 bilhões. Mas, de acordo com o presidente da associação, Cristiano Peixoto Maia, no próximo ano o produto passará a ser, também, exportado para os Estados Unidos, Europa e China. Entre os associados da entidade, segundo ele, 77% são pequenos produtores. Osetor envolve 3 mil empreendimentos, 30 mil empregos diretos e 100 mil empregos indiretos.

Doença do camarão

Em 2015, a doença conhecida como mancha branca chegou a dizimar a produção na Potiporã. A empresa foi vendida, ampliada, replanejada e, no ano passado, adotando maiores cuidados com a qualidade da água e da alimentação, passou a produzir mais do que antes de enfrentar o problema.

A mancha branca consta da lista da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como uma das doenças de animais aquáticos. É uma infecção viral que persiste durante toda a vida do animal, tendo elevada mortalidade em cultivos de camarão. Os animais que se recuperam da infecção são portadores persistentes do vírus. Estudos demonstram que o vírus tem durabilidade de 30 dias em água marinha a 30 ºC. Dura de três a quatro dias em lagoas e é inativado em um minuto a 60 ºC.

Produtores de sal

Antes de deixar Mossoró, Tereza Cristina se reuniu com produtores de sal, na Prefeitura da cidade. Eles reivindicaram a classificação da atividade como de importância social, conforme previsto no Código Florestal, para que diminuam sanções ambientais às quais têm sido submetidos. A ministra informou que fará em Brasília uma reunião entre o Mapa e os ministérios do Meio Ambiente, da Casa Civil e Advocacia Geral da União para que o caso seja avaliado conjuntamente. As informações são do Portal no Ar.

Por Robson Pires

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...