quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

O Cristão e a Maçonaria - Por Anderson Kleiton

Parte I


Apresentação:

O artigo a seguir trata-se apenas de uma breve abordagem a luz das escrituras, sobre o cristão e a maçonaria.
Não pretendendo se alongar em temas que exijam maior estudo.
No entanto, mesmo não dando um mergulho mais profundo no tema, creio que o que será apresentado desperterá o interesse dos leitores à uma pesquisa mais apurada.

"O que sabemos é uma gota; o que ignoramos é um oceano."
(Isaac Newton)

"Gostaria que conhecesse um lugar. Lá, certamente, você aprenderá a desenvolver suas virtudes e se tornará um homem polido e justo!"

Esta é uma das formas educadas e convincentes, usadas pelo, geralmente, mestre maçom, para convidar um "profano" a ingressar na "arte real" e se tornar a partir de então, um neófito APRENDIZ.

Quem faz o convite, é sempre uma pessoa próxima, e raramente percebemos que tal pessoa pertence a maçonaria.
A figura de quem convida é tão enigmática quanto o próprio convite, e isto, naturalmente é assim, para despertar maior interesse no pré selecionado, e quem sabe, futuro inciado.
Por ser uma "sociedade secreta" em que seus ensinamentos e segredos são reservados apenas aos que passam pelo ritual de iniciação, não é possível (pelos menos não era), entrar na maçonaria sem um "padrinho" que o observe, o convide e cuide de seu novo irmão até que seja elevado ao grau de Companheiro ( 2° Grau), e posteriormente, mestre maçom (3° Grau).
Não se pode negar, que a primeira vista, gera-se um certo fascínio em ser convidado para se tornar maçom.
No geral, os maçons são estudiosos, tidos como sábios e sempre ocupam posição de destaque em qualquer segmento da sociedade e nas igrejas também. Gramática, lógica e retórica; Aritmética, geometria, música e astronomia, são a base que norteam tanto a doutrina, como o estudo da simbologia maçônica, e, sem entender o mínimo das ciências citadas, jamais poderá se entender o que pretende a maçonaria.
O estudo da geometria por exemplo, está diretamente ligado a simbologia e interpretação correta dos símbolos maçônicos (cada símbolo é uma mensagem que fala em silêncio à consciência do bom observador).
Da geometria maçônica surge a figura do G.A.D.U, Grande arquiteto do universo, que segundo a maçonaria, trata-se do Deus que arquitetou e criou todas as coisas.
O ser humano já é curioso por natureza, e quem é que não gosta de saber o que a maioria não sabe não é mesmo?
Pois bem, muitos vêem no maçom um certo ar de empoderamento e saber elevado, e naturalmente, passa a aspirar a iniciação na ordem.
Mas...
Existem coisas sobre a maçonaria que não são reveladas, e que, entender a geometria sagrada, o segredo dos números, as palavras passes, baterias e sinais, não são suficientes para se perceber.
O conhecimento maçônico vai sendo incutido aos poucos e de forma sistemática na mente do iniciado, de modo que ele vai absorvendo e se acostumando com o que é ensinado sem questionar, de forma que num primeiro momento é muito difícil discernir corretamente o que se está aprendendo. É óbvio que ele já chega em loja embriagado pele ideia de se tornar maçom, e logo, seu entendimento é cerrado.
Tendo dito isto, eis algumas coisas que precisamos saber antes de decidir ser maçom:


• SUA ORIGEM.

• O QUE ENSINA.

• O QUE PRETENDE.

• O QUE DE FATO A BÍBLIA DIZ A RESPEITO.

Estes e outros tópicos serão abordados nos próximos artigos.

Por: Anderson Kleyton. ( Uma simples "goteira").

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...