quarta-feira, 26 de julho de 2017

O Profeta do ribeiro (Ez 1.1) - Por Marlon Araújo


No 30º ano,4º mês e no 5º dia em que Ezequiel estava ás margens do rio Quebar, entre os cativos de Judá na Babilônia; os céus ficaram abertos, e o profeta teve visões de DEUS.
As visões não foram imaginação, nem muito menos um êxtase; mais sim visões dos céus com um propósito específico.
Exatamente naquele dia era o triste aniversário do 5º ano do cativeiro do rei Joaquim; o rei Joaquim tinha 18 anos quando se tornou rei, reinou por apenas 100 dias, e não obedeceu ao SENHOR, foi levado cativo e perdeu o que havia de mais valioso para o rei, a presença do SENHOR na vida.
Ezequiel estava, juntamente com um grupo de exilados, frente ao rio quebar, não havia muito a dizer entre eles, posto que um abatimento extremo tomara conta de todos, muita nostalgia, lembranças e um pouco de fantasmagoria era a sua realidade.
Todavia, através do sofrimento experimentado por eles, as margens do quebar, DEUS faz algo novo, se revela em terra pagã, abre os céus e as visões eram tremendas, o profeta patriota não esperava o DEUS de Israel, fazer uma revelação tão espantosa e divina.
Os Judeus achavam que o SENHOR só se manifestava na terra deles, mais DEUS que não é evangélico, nem Judeu, faz do jeito que ele quer; não podemos limitar a onipresença do SENHOR porque DEUS É DEUS, então vamos deixar DEUS se DEUS!
O profeta sentiu o vento da tempestade, viu uma nuvem de fogo e um estranho brilho que vinha do meio do fogo, as 4 criaturas era semelhante ao homem, só que com 4 faces cada criatura e com 2 pares de asas cada; as pernas eram retas, a sola dos pés era como as do bezerro, havia um brilho como bronze polido e mãos debaixo das asas eram de homem.
As asas eram unidas, as criaturas não se viravam ao andar, só andava para a frente, cada face das 4 criaturas era de um animal (homem, leão, boi e águia), talvez simbolizando a humanidade, a realeza, o serviço e a divindade.
As faces e duas asas eram separadas acima e as duas asas abaixo cobriam o corpo, o fogo subia e descia das 4 criaturas e relâmpagos saiam do fogo, de fato é uma visão pavorosa e assustadora.
Nessa mesma época Jeremias fica na cidade de Jerusalém, Daniel vai para o palácio do rei da Babilônia, e Ezequiel vai para a favela da Babilônia Tel-habibe uma periferia as margens do rio quebar, o rio da fronteira entre o natural e o sobrenatural.
Você acha que a vida de quem mora na beira de um rio é fácil? é só a chuva começar que as águas do desespero vai inundar as casas.
Mais Ezequiel começa seu ministério na beira de um rio, e termina também na beira do rio, mais só que no cap, 47 ele é convidado para entrar dentro desse rio, rio que não poderia atravessar sozinho; tinha que está com DEUS em todo instante.
Estamos lotados de pregadores, mais estamos CLAMANDOS por profetas; DEUS AINDA CHAMA HOMENS NA SARÇAR PARA PREGAR CONTRA OS CESARES, pregadores é um deboche você nunca ter uma experiência com o mundo espiritual.
Não fuja das margens do rio quebar,o rio do lamento, da tristeza e do gemido, porque o RIO DE ÁGUAS VIVAS um dia você irá mergulhar e nadar na correnteza do ESPIRITO SANTO.
SHALOM LA-RHEMA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...