domingo, 30 de abril de 2017

Dados apontam que até 2035 não haverá nenhuma igreja evangélica em Portugal

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.


Muitas igrejas e agências missionárias compreendem que a Europa se tornou um campo missionário a ser alcançado. O olhar evangelístico sobre essa região deve ser diferente por diversos fatores, entre os quais se destaca que a uma parte do continente pode ser considerada pós cristã. Existem templos espalhados por muitos lugares, contudo eles são transformados em bibliotecas, bares e casas de shows.

Uma pesquisa da Assessoria de Missões da Aliança Evangélica Portuguesa (AMIS), realizada em 2016 revelou que Portugal está sofrendo uma queda acentuada no número de igrejas nos últimos anos, o que deve ser motivo de alerta para pastores, líderes e agências missionárias.
Vamos aos dados e depois à análise deles.





O número de igrejas evangélicas em Portugal teve um considerável crescimento entre as décadas de 1960 e 2000. Nesse período foram plantadas 1.339 igrejas, média de 33,4 igrejas por ano (quase 3 por mês). Considerando que Portugal é um país com pequena extensão territorial (do tamanho do estado de Pernambuco), a expansão da igreja avançava num ritmo moderado e constante.

Entre os anos 2000 e 2007, no país, 223 igrejas fecharam as portas , e entre 2007 e 2011, mais 171 deixaram o cenário. Porém, o maior decréscimo ocorreu nos últimos cinco anos, período no qual 272 igrejas encerraram suas atividades.

Comparativamente os dois períodos apresentam índices semelhantes, o mesmo número de igrejas fechadas a cada ano: 55,75 entre 2007-2011 e 54,4 entre 2011-2016. Uma breve análise aponta que no ritmo presente até 2035 não haverá nenhuma igreja evangélica em Portugal.

Causas possíveis
A pesquisa indica algumas causas possíveis para esses índices preocupantes. A primeira delas é uma centralização das atividades em um único local. Igrejas maiores fecharam suas congregações menores, procurando centralizar e fortalecer o trabalho da sede. Outro fator é a emigração. A mobilidade de pessoas na Europa é muito grande devido às facilidades que o Mercado Comum Europeu proporciona. Isso afeta a Igreja de forma direta, pois, em busca de melhores condições de vida, os membros acabam mudando de um país para outro, com grande frequência. Também é necessário considerar o decréscimo da saída dos imigrantes. Um dado importante levantado na pesquisa é que existe uma diminuição considerável das igrejas étnicas, ou seja, igrejas que são frequentadas por pessoas oriundas de uma nação específica. Entre 2007 e 2009, no auge da crise que atingiu vários países da Europa, diversas igrejas portuguesas (e européias) acabaram por fechar suas portas. Muitos brasileiros, por exemplo, retornaram à pátria nesse período.

Outro indicador muito importante é o que a AMIS chamou de um enorme “fosso geracional”. Muitas igrejas portuguesas passam por isso. Os adolescentes chegam aos 17/18 anos e abandonam a igreja. Metade das igrejas entrevistadas despendem seus maiores esforços no trabalho com a faixa etária superior a 45 anos. Explica-se isso pelo levantamento de recursos. Pessoas com vidas estabilizadas financeiramente têm condições de contribuir de maneira mais eficaz que os jovens.

Embora a pesquisa revele isso em Portugal, sabemos que o mesmo acontece em diferentes níveis no Brasil e em outras nações. A geração 4-14 se tornou um desafio para a igreja mundial.

*Dr. Luis Bush, fundador da iniciativa da Janela 10/40 nos anos 90, desenvolveu uma nova iniciativa no início deste século. É chamada a Janela 4/14. A iniciativa anterior identificou uma região geográfica do mundo, entre 10 e 40 graus de latitude que continha um número alto de pessoas que não conheciam Cristo. Muito trabalho tem sido feito por organizações missionárias para atingir as pessoas nesta janela de oportunidade. A Janela 4/14 identifica um grupo demográfico de pessoas entre quatro e catorze anos de idade, a fase de vida quando 85% de pessoas se convertem, tomando a decisão de seguir a Cristo. Sendo que crianças e jovens estão numa fase de desenvolvimento oportuna para crescimento espiritual, o movimento da Janela 4/14 visa resgatar pessoas nesta idade para o Evangelho, usando várias ferramentas e abordagens.

Sabemos que o Senhor da Seara não deixará que a igreja em Portugal morra, mas temos que nos preocupar e se levantar em oração e com ações estratégicas! A Sepal tem procurado levantar missionários para Portugal e nos últimos anos intensificamos as orações e Deus levantou 4 casais de missionários para o país. Sabemos que isso é uma gota no oceano, mas cremos no projeto de Deus para essa nação.



Com informações Povos e línguas
Por Luis André Bruneto
Imagem: reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...