A situação da RN-087, a conhecida Estrada da Produção, foi o tema de discussão na tarde desta quinta-feira (7), na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. Por iniciativa do deputado estadual Nelter Queiroz (PSDB), o Legislativo realizou uma audiência pública reunindo dezenas de lideranças da região da Serra de Santana, principalmente dos municípios de Lagoa Nova e Tenente Laurentino.

O trecho da rodovia em questão liga os municípios de Lagoa Nova e Tenente Laurentino. Segundo relatos de diversos participantes da audiência, o deslocamento de carro pelo percurso dura até 2h, dependendo das condições do tempo e trânsito. Isso, no entendimento dos vereadores das cidades que participaram da audiência, causa transtornos e prejuízos incalculáveis à população.

"É uma obra importantíssima e por isso trouxemos aqui o secretário de Infraestrutura, que também é o responsável pelo programa Governo Cidadão, para nos explicar o motivo pelo qual essa obra ainda não andou. Precisamos saber quando a situação será solucionada", disse o deputado Nelter Queiroz.

Representando o Governo do Estado na audiência, o secretário Gustavo Rosado falou sobre as ações do Executivo nas rodovias estaduais. Segundo ele, a escassez de recursos para investimentos devido aos atrasos na folha de pagamento do Estado inviabilizou boa parte dos investimentos durante os últimos três anos e, para este ano, serão empregados R$ 30 milhões em "operação tapa buracos" em parte dos 3,3 mil quilômetros de rodovias estaduais. Não há, contudo, a previsão sobre quando será realizada a obra para fazer a estrada.

De acordo com o secretário, os recursos oriundos do Banco Mundial, neste momento, não chegam a R$ 10 milhões na conta do Governo Cidadão e, para a realização da obra na Estrada da Produção, seria de R$ 50 milhões. Segundo ele, é necessário, inclusive, a produção de um projeto direcionado à área.

"Temos um projeto elaborado para 2019, mas que está totalmente defasado. Para fazer as obras que as estradas estaduais precisam, entre reparos e implantações, precisamos de aproximadamente meio bilhão de reais, por isso teremos que buscar financiamento para essas obras porque é um volume muito grande", disse o secretário.

O vereador Wallace Frade, da cidade de Lagoa Nova, foi um dos parlamentares que participaram da audiência. Ele, de acordo com o deputado Nelter Queiroz, foi o responsável por pedir a realização da audiência na Assembleia para tratar sobre o tema. De acordo com ele, os representantes da Serra de Santana clamam pela obra na estrada. Para ele, a serra, que tem grande potencial agrícola, maior produção de leite da região e 1.700 familias de agricultores somente em Lagoa Nova, precisa de uma estrada para escoar a produção.

"Temos que cobrar a estrada para as pessoas que precisam dela no seu dia a dia, não somente para as grandes empresas de energia. Levamos uma hora para percorrer 14km. Como é que após quatro anos, com recursos garantidos, a gente só pensa em fazer projeto agora? Por que a energia eólica chegou?", questionou o vereador, em referência ao crescimento de campos de produção de energia através dos ventos na região. As empresas, inclusive, têm realizado parte de reparos nos acessos com apoio nos gastos com combustíveis por parte do Governo e prefeituras. "O povo não aguenta mais andar por aquela estrada. Que façamos a Estrada da Produção para a energia, para os comerciantes, agricultores, mas principalmente para quem trafega todos os dias", disse o vereador, afirmando que o trecho total, da rotatória de Santana até Tenente Laurentino, é de 26km.

Com obras realizadas pelo Governo do Estado através de recursos do Banco Mundial, ligando Cerro Corá a Lagoa Nova, o secretário Gustavo Rosado disse que é um objetivo do Governo do Estado realizar a obra quando houver o projeto e a liberação de recursos. Depois de ouvir dezenas de vereadores da região, o secretário reafirmou a intenção. "Estamos em uma realidade atípica. Vamos fazer contratação de novos trechos críticos, provavelmente, e a contratação de todos os projetos que estamos elaborando, se Deus quiser", disse o secretário.

Por outro lado, o deputado Nelter Queiroz disse que vai continuar cobrando a realização da obra, mas não acredita em solução a curto prazo. "É uma espera de 50 anos. Essa estrada não vai ser feita agora. Ninguém aqui é imbecil para pensar o contrário. Mas vamos continuar nessa luta para que a obra saia nos próximos quatro anos", disse o deputado, que também criticou o Governo do Estado. "O Governo do Estado fala de folha de pagamento atrasado, mas isso cuida secretaria de Administração. O Governo Cidadão ficou parado? São recursos que não se misturam. É separado. A governadora priorizou os servidores. Ela também poderia priorizar recursos para viabilizar essa história e deveria ter ido ao presidente da República. Não foi por questão política", acusou.

Finalizando a audiência, o deputado garantiu aos participantes que vai sugerir emenda coletiva ao Orçamento Geral do Estado para 2023 destinando R$ 50 milhões para a obra. "Vou colocar emenda destinando R$ 50 milhões, com os deputados estaduais na Comissão de Finanças, para colocar no orçamento de 2023. Emenda coletiva, de todos que quiserem assinar. Se vetarem, aí vamos para cima deles", disse o deputado.




AL-RN

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...