O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, anunciou nesta sexta-feira que o governo federal adiará em pelo menos uma semana a vigência da portaria que define que turistas deverão apresentar comprovante de vacinação ou fazer cinco dias de quarentena para entrar no Brasil. A medida começaria a valer neste sábado. Um novo documento deve ser publicada ainda nesta sexta.


— O ministério está estruturando algumas ações que vão ser tomadas em função da indisponibilidade, em especial do sistema da vacina. Mas uma decisão eu já posso antecipar: estive na Casa Civil e a gente vai postergar a vigência da portaria que trata das fronteiras, em especial aqueles itens que tratam do certificado de vacinação ou, em caso contrário, o cumprimento da quarentena — disse o número 2 da Saúde, em conversa com jornalistas.

Nesta sexta, um dia após a publicação da portaria, os sites do Ministério da Saúde, do ConecteSUS — sistema do governo que emite a carteira digital de vacinação —, do Painel Coronavírus e do DataSUS sofreram ataque hacker e saíram do ar. A pasta acionou o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e a Polícia Federal (PF), que, agora, investigam o caso.

Entrevista: ‘As pessoas precisam entender que a gripe não é uma doença leve’, diz virologista da Fiocruz

Mais cedo, o ministro Marcelo Queiroga informou que os dados da pasta não ”serão perdidos” porque há backup das informações. Na madrugada desta sexta-feira, o site da pasta e os sistemas, como ConecteSUS, e-SUS Notifica foram alvos de ataques cibernéticos. Ao acessar os sistemas, os usuários encontravam uma mensagem informando que os dados foram copiados e excluídos.

— É um prejuízo muito grande (…) Mas esses dados não serão perdidos, o Ministério da Saúde tem todos os dados, é só uma questão de resgatar esses dados e colocá-los à disposição da sociedade — explicou Queiroga à TV Globo.

O globo

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...