terça-feira, 2 de junho de 2020

Igreja Presbiteriana perdeu 50 mil membros e mais de 100 congregações em 2019



A Igreja Presbiteriana dos EUA informou recentemente que perdeu cerca de 50.000 membros e mais de 100 congregações em 2019. Mesmo assim, a perda foi aclamada como uma desaceleração do declínio de anos.

A maior denominação presbiteriana dos Estados Unidos divulgou um relatório na última quinta-feira sobre o número atual de membros e igrejas.

De 2018 a 2019, a Igreja Presbiteriana dos EUA (PC, sigla em inglês) passou de aproximadamente 1.352.000 membros ativos para aproximadamente 1.302.000 membros, ou uma queda de cerca de 50.000.

O número de congregações pertencentes a Igreja Presbiteriana dos EUA também diminuiu, passando de 9.161 em 2018 para 9.041 em 2019. Isso é cerca de 400 congregações a menos do que a denominação em 2016.

O Rev. Dr. Herbert Nelson II, secretário da Assembleia Geral da Igreja Presbiteriana dos EUA, disse que o relatório era “uma boa notícia”, já que o número de membros não caiu abaixo da marca de 1,3 milhão.

“Devemos comemorar sabendo que ainda há trabalho a ser feito”, afirmou Nelson, alegando que esta foi a primeira vez em três décadas que eles “não estavam relatando perdas de membros”.

“Estamos testemunhando transformação e renovação congregacional por meio de liderança inovadora, treinamento em discipulado, renovação espiritual e implementação de ministério contextual.”

Nelson continuou afirmando que acreditava que uma característica essencial do eventual crescimento da denominação será “dependente da evangelização das comunidades imigrantes”.

“O plantio de igrejas em comunidades imigrantes está liderando o caminho para o crescimento atual e futuro da igreja”, continuou ele. “Nós não estamos morrendo. … Estamos reformando. ”

Jeff Walton, do Instituto de Religião e Democracia, criticou o otimismo de Nelson , observando que as perdas no ano passado são “consistentes com os relatórios dos anos recentes”.

“Aparentemente, na avaliação de Nelson, o desaparecimento de mais de 50.000 membros da igreja não conta como declínio por causa dos arredondamentos”, escreveu Walton.

“A taxa de declínio continua a ser maior do que os números de membros relatados mais recentemente na Igreja Episcopal, que relataram uma perda de 36.214 pessoas em 2018 (a Igreja Episcopal normalmente divulga estatísticas no outono do ano seguinte).”





Tal como acontece com outras denominações protestantes principais, a Igreja Presbiteriana dos EUA sofreu um declínio severo nos últimos anos, tendo tido cerca de 1,2 milhão de membros a mais em 2000 do que atualmente.

Em 2011, o número de membros caiu abaixo da marca de 2 milhões e, em 2014, o número de congregações afiliadas à denominação ficou abaixo da marca de 10.000.

Um fator essencial para esta redução foi a direção teológica liberal da Igreja Presbiteriana dos EUA, como se vê com sua crescente aceitação da homossexualidade, o que levou um grande número de congregações a pedir desligamento.

Muitas dessas congregações que se desligaram formaram uma nova denominação chamada ECO, uma Ordem da Aliança dos Presbiterianos Evangélicos criada em 2012 por antigas congregações e membros da Igreja Presbiteriana dos EUA. A ECO tem mais de 380 congregações e mais de 500 pastores.
Folha Gospel com informações de The Christian Post e Wikipédia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...