Bandeira da China
Bandeira da China
Uma igreja em Chengdu, a capital da província de Sichuan, no sudoeste da China, foi revistada pela polícia no dia 12 de maio.
A igreja se preparava para celebrar o décimo aniversário de um terremoto que matou quase 90 mil pessoas e deixou milhões sem teto.
O pastor Wang Yi foi preso junto com outros 200 membros da igreja. As autoridades tinham avisado a ele que a igreja não tinha permissão para realizar um evento como este.
Quando os fiéis chegaram para o culto, encontraram a polícia esperando por eles e bloqueando a entrada.
Entre os presos, estavam idosos e crianças. Cerca de 15 mil livros cristãos, como Bíblias, e quase mil CDs foram confiscados. Mas Wang e os membros da igreja foram liberados no mesmo dia à noite.
Wang tem sido crítico dos novos regulamentos religiosos, que passaram a vigorar em 1 de fevereiro deste ano. Ele disse que considera os regulamentos uma violação da liberdade religiosa e convocou os cristãos na China a resistir a eles.
Uma fonte local que não quis ser identificada nos contou que o governo está aumentando a pressão sobre as igrejas em todo o país. “Parece que as autoridades locais são pressionadas a reforçar os regulamentos religiosos até certo ponto”, afirmou.