segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Caetano Veloso defende exposições de artes e diz que conservadores “mentem cinicamente”



O cantor Caetano Veloso é uma das principais vozes na defesa de exposições de artes repletas de apologia à pedofilia, zoofilia, além do vilipendio religioso como aconteceu na exposição Queermuseu, no Santander Cultura de Porto Alegre (RS).

Reclamando da “censura” dos grupos conservadores que se levantaram contra essas “artes”, o cantor baiano criticou o grupo, principalmente os evangélicos, dizendo que eles “mentem cinicamente” ao afirmarem que essas exposições promovem a pedofilia.

“Toda essa gente que mente cinicamente sobre exposições de arte usando a palavra ‘pedofilia’ para angariar adeptos entre os mais ingênuos, se esforça para encobrir o desejo de manter a opressão da maioria do povo brasileiro, que vive sob a mais pesada desigualdade econômica do mundo”, disse ele ao jornal O Estado de São Paulo.

A bancada evangélica se levantou contra essas exposições e um projeto foi apresentado para impedir que projetos com obras que vilipendiem símbolos religiosos ou dogmas tenham apoio da Lei Rouanet. Para Caetano, esse tipo de proposta tem como objetivo manter o poder econômico nas mãos de poucos.

“Os malucos dos grupos conservadores que se organizaram à sombra das passeatas de 2013 sabem que não há casos de pedofilia onde eles dizem haver. Mas pode ser que ganhem dinheiro de grupos políticos para criar pautas que una as pessoas inocentes contra artistas e museus de modo que o que mais interessa – manter o poder econômico nas mãos dos muito poucos – permaneça intocado”, acusou.


Zeca e Tom, filhos de Caetano Veloso, são evangélicos da Igreja Universal do Reino de Deus. Seu terceiro filho, Moreno, é do candomblé, mas mantém ligações com o hinduísmo e o catolicismo franciscano.

O cantor declara que não é tem medo da religião dos filhos e que a família mantém conservar claras sobre o assunto. Ele também afirmou que sempre viu com bons olhos o crescimento das igrejas evangélicas no Brasil.

“De minha parte, não vejo o crescimento das igrejas evangélicas no Brasil como algo negativo. Nunca vi assim. Há um preconceito pseudo-chique contra os evangélicos com o qual eu nunca me identifiquei. Antes de Zeca e Tom nascerem eu já via programas evangélicos na TV e pensava que aquilo ia crescer e que poderia ganhar importância na caminhada do país”.

Todavia, ele se coloca contra a liderança evangélica que promove o fundamentalismo. “Isso não quer dizer que eu respeite qualquer mau-caráter que pregue alguma forma de fundamentalismo ou que use a religiosidade para dominar mesquinhamente as pessoas e para agredir outros grupos”, declarou.


Foram os grupos conservadores que relembraram uma entrevista antiga de sua ex-esposa, Paula Lavigne, que declarou ter perdido a virgindade com o cantor quando tinha 13 anos, e Caetano 40. Por Paula ser menor de 14 anos, ainda que o sexo tenha sido consensual, o ato foi crime pelas leis brasileiras, levando uma multidão de internautas a levantar uma hashtag chamando o cantor de pedófilo.

O deputado pastor Marco Feliciano foi um dos que declararam que o cantor cometeu crime quando, em seu aniversário de 40 anos, ganhou a virgindade de Paula como presente. Por ter se manifestado sobre isso em suas redes sociais, Marco Feliciano foi processado pelo cantor, assim como o grupo MBL.

Jm noticia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...