quarta-feira, 16 de março de 2016

O Éfode de Gideão (Jz.8:27) - Por Marlon Araújo



Qualquer coisa nesse mundo pode fazer um servo de Deus tropeçar e mesmo heróis da Bíblia tiveram seus momentos de vacilo.
Gideão era juiz em Israel e foi o libertador do povo de seus inimigos midianitas, um povo cruel e fortemente armado.
A história você já conhece, com 300 homens e sem tocar nos soldados do arraial midianita, Gideão teve uma vitória espetacular.
Depois que o SENHOR desbaratou os midianitas, Gideão e seus homens perseguiram os reis midianitas Zeba e Salmuna.
Então chegaram numa cidade chamada Sucote. Mas os príncipes de Sucote não deram alimentos para Gideão e os seus soldados, e ainda para piorar os príncipes ainda escarneceram, e zombaram de GIdeão. Jz 8:7.
Gideão ficou muito bravo e fez uma promessa, de dar uma surra de espinhos nos homens de Sucote quando voltasse da perseguição dos reis de midiã  Jz.8.7. Não foi uma ameaça, foi uma promessa! 
Pois bem. De Sucote Gideão subiu para Penuel, outra cidade Israelita; e foi recebido da mesma forma que aconteceu em Sucote. Então Gideão disse que iria derrubar o orgulho e o símbolo maior dos príncipes de Penuel que era a torre deles. Outra promessa. Não foi uma ameaça! Jz 8:9.
Gideão continuou sua jornada, e encontrou os reis midianitas acampados com o que restava de seus exércitos. Quando Gideão chegou os reis conseguiram fugir e os soldados foram afugentados pelos os homens de Gideão.
Gideão não esqueceu das promessas feitas em Sucote e Penuel. Gideão prendeu um rapaz de Sucote e ele entregou todo mundo.
De posse desta preciosa informação, Gideão entrou triunfalmente em Sucote e lembrou para os escarnecedores o que eles falaram. Jz. 8:15.
Depois de lembrá-los o que havia ocorrido, Gideão tomou os príncipes e anciãos de Sucote e lhes deu uma de espinhos. Jz 8:16.
Em Penuel não foi diferente, Gideão cumpriu sua promessa e derrubou a torre da cidade.
Foi uma sequencia de lutas, vitórias e promessas cumpridas na vida desse juiz de Israel. Gideão voltou em paz e libertou os Hebreus de um jugo dos midianitas.
Os homens de Israel pediram para Gideão domina-se sobre eles; mas Gideão reconheceu que a vitória não foi dele e nem dos 300 que o seguiam, mais do SENHOR.
Só teve uma coisa sutil. Gideão pediu para os Israelitas que lhe desse ouro saqueados dos midianitas. Gideão com esses ouros mandou fazer um Éfode, que era uma veste, tipo avental, usado pelos sacerdotes por cima da túnica todo de ouro.
Uma coisa que parecia tão inocente serviu de tropeço para um libertador. Tropeçou numa bobagem, que produziu uma vaidade arrogante.
Nem sempre o que derruba um servo de Deus são os grandes pecados, mas os ocultos e sutil. A vaidade, a soberba e quem derruba mais.
Muito cuidados com os presentes perigosos que nós afasta de Deus. Cuidado com os Éfodes pretensiosos e brilhosos. Porque nem todo ouro que reluz é da vontade de DEUS.
Marlon Araújo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...